Alcinopolis. Terça-feira, 24 de Outubro de 2017. Bom Dia!

Meio Ambiente

A Arqueologia desvela fragmentos em cavernas do hoje município de Alcinópolis-MS.

Povos deixaram vestígios do período pré-colombiano...

A Arqueologia desvela fragmentos em cavernas do hoje município de Alcinópolis-MS.

A Arqueologia desvela fragmentos em cavernas do hoje município de Alcinópolis-MS.

Mato Grosso do Sul foi emancipado pela Lei complementar nº 31 de 11 de outubro de 1977. A autonomia político-administrativa do Estado é a culminância de uma longa campanha autonomista iniciada com as revoluções coronelistas nos Campos de Vacaria e nos ervais sul-mato-grossenses. Mato Grosso do Sul é constituído de municípios cuja origem está ligada aos tempos coloniais como Corumbá, Miranda, Nioaque, Coxim, os do século XIX como Paranaíba, outros do século XX, e aqueles que foram emancipados em decorrência da criação do Estado. Entretanto, sua formação histórica remonta ao período pré-colombiano. A Arqueologia desvela fragmentos milenares (10 a 12 mil anos) de populações em diferentes estágios culturais que habitaram, por exemplo, o sítio Pata da Onça, em Alcinópolis. Esses povos deixaram gravadas nas cavernas pinturas rupestres que retratavam as atividades do seu cotidiano como caçadas, figura de animais, símbolos.

A conquista e colonização pelos europeus (espanhóis e portugueses) do atual território sul-mato-grossense perpassou pela disputa das terras do Novo Mundo: os portugueses estabeleceram-se no litoral do Atlântico até São Vicente; os espanhóis mais ao Sul, na região Platina e no litoral do Pacífico. A partir do rio da Prata, os exploradores espanhóis na busca das minas de prata, fundaram Buenos Aires, dali, chegaram aos rios Paraná e Paraguai onde fundaram Assunção. Os castelhanos fundaram as Missões Jesuíticas de Guairá e Itatim. Os núcleos de ocupação tinham a finalidade de servir de apoio para abastecimento das expedições e de garantir a posse da terra conquistada.

A descoberta de ouro em Cuiabá, em 1719, levou os portugueses iniciaram a conquistar o vale do rio Paraguai, fundando fortes e presídios, visando impedir o avanço espanhol às minas de ouro. Em 1723, os portugueses conquistaram a fazenda Camapuã, outrora uma missão jesuítica espanhola, com a finalidade de apoiar as viagens dos monçoeiros. Essa rota se estendia da foz do rio Pardo no rio Paraná até o rio Cuiabá e ficou conhecida como Rota das Monções.

Devido à ausência de metais preciosos, o governo da Província de Mato Grosso, negligenciava na assistência e na defesa das vilas e cidades sul-mato-grossenses, situadas no vale do rio Paraguai. A consolidação da presença dos descendentes dos portugueses no território sul-mato-grossense foi definida com o Tratado de Paz e Amizade Perpétua de 1872, assinado entre Brasil e Paraguai.

Na República Velha, os fazendeiros dos ervais e Campos de Vacaria reivindicavam do governo estadual o título de posse de suas fazendas, por outro lado, a Companhia Matte Laranjeira mantinha o monopólio da exploração da erva mate e tinha alguns privilégios que impediam que fazendeiros se instalassem na região dos ervais.

A construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil e a regularização das viagens ferroviárias propiciou a fundação de cidades, desenvolvimento de outras. A região sul-mato-grossense tornou-se o principal centro econômico, responsável por mais de 75% da arrecadação estadual.

As oposições políticas, do período, caracterizaram-se por confrontos armados, nos quais as oligarquias envolvidas defendiam seus interesses econômicos e políticos. As revoluções coronelistas marcaram o início de uma longa campanha pela emancipação político-administrativa do Estado de Mato Grosso do Sul. Getúlio Vargas seguindo seu programa de integração e segurança nacional, reestruturou o exército, criando novas unidades militares e elevou a Circunscrição Militar para 9ª Região, criou o destacamento de Base Aérea em Campo Grande, mandou construir o aeroporto internacional nesta cidade e aparelhou o porto de Corumbá e retomou a construção da estrada de ferro para Ponta Porã. Em 13 de setembro de 1943, Getúlio Vargas criou o Território de Ponta Porã, não inclui Campo Grande, a principal cidade autonomista, nessa unidade federativa. Essas ações do governo proporcionaram prosperidade, todavia cercearam as tentativas de emancipação político-administrativa da região sul-mato-grossense.

Ao longo dos 40 anos de emancipação do Estado de Mato Grosso do Sul, sua prosperidade é evidenciada pela diversificação da sua matriz econômica com empreendimentos em setores de celulose e papel, florestas plantadas, siderurgia, produção de açúcar, álcool combustível e energia, exportação de carne para países europeus. Nas ações culturais, destaca-se a aplicação de políticas públicas de cultura que garantem o acesso aos bens culturais e meios para a expansão simbólica e artística, promovendo a diversidade cultural e social, a autoestima, o sentimento de pertencimento, a cidadania, entre outros bens.

(Doutora em História e associada efetiva titular da cadeira nº 8 do IHGMS.)

Publicidade

Não deixe de ler


Nas Galerias de Fotos
  • Chegada da Chegada da "Banda Musical Iulle Martins Rezende"
  • Missa Sertaneja Missa Sertaneja
  • 3ª Cavalgada de Bonito - MS 3ª Cavalgada de Bonito - MS
  • Bodas de Ouro: Manoel & Elza Bodas de Ouro: Manoel & Elza
  • Encontro de Bandas e Fanfarras Encontro de Bandas e Fanfarras "Rio Negro - MS"
[+] Galerias de Fotos
Publicidade