www.alcinopolis.com

Mané Nunes autorizava trocas de baterias dentro do prazo de garantia, revela auditoria

Num dos casos, o então prefeito autorizou a compra...


Publicado em: 14/09/2012 por alcinopolis.com

A auditoria contábil realizada na prefeitura de Alcinópolis, entre janeiro de 2009 e junho de 2011, aponta que o prefeito em exercício neste período, Mané Nunes (PR), causou vários prejuízos ao erário público, principalmente na troca exagerada de baterias automotivas.

Num dos casos, o então prefeito autorizou a compra de duas baterias, em menos de dois meses, para a mesma camionete de placas HRJ-2185. A primeira troca ocorreu em 01/04/2009, sendo que a segunda foi em 27/05/2009.

A segunda troca foi efetuada na empresa Gilmar Carlos Teodoro – ME, que pertence ao marido da ex-vereadora Sirlei Rulli Teodoro, cassada em 2007 pelas práticas de corrupção e improbidade administrativa.

Numa outra camionete, de placas HQN-6938, ocorreu a mesma prática. Foi adquirida uma bateria em 13/03/2009, mas, pouco mais de dois meses depois, em 27/05/2009, Mané Nunes autorizou outra troca, também na empresa do marido da ex-vereadora, que pertence a base eleitoral do prefeito afastado.

É de conhecimento de todos que as baterias automotivas tem um ano de garantia, sendo assim, o procedimento correto seria que o Mané Nunes tivesse exigido a troca das baterias pelas empresas responsáveis. Aliás, a auditoria revelou que era prática comum trocar baterias dos veículos da prefeitura de Alcinópolis no período de garantia.

Um dos casos apontados foi de um caminhão-tanque, de placas HQG-6782, que teve a bateria trocada em 02/03/2009 e, posteriormente, em 01/12/2009, também no prazo de garantia. Somente neste caso, a auditoria apontou prejuízo de R$ 487,49 ao erário público.

O relatório final da auditoria contábil demonstra que, entre janeiro de 2009 e junho de 2011, o prefeito afastado autorizou compras de 81 baterias, para uma frota de veículos pequena, “o que demonstra sobremaneira a total falta de organização e controle, haja vista que, é extremamente desarrazoado o uso dessa quantidade de baterias”, diz trecho do relatório.

Vale ressaltar que Mané Nunes foi afastado do cargo depois que as investigações da Polícia Civil o apontaram como mandante da execução do vereador Carlos Antônio Costa Carneiro (PDT), morto a tiros em Campo Grande. Com isso, o vice-prefeito Alcino Carneiro (PDT), pai da vítima, assumiu a administração municipal.

Agora, o prefeito afastado tenta voltar a comandar o poder público, disputando as eleições contra o ex-prefeito Ildomar Carneiro (PMDB), que tem como candidata a vice a esposa de Carlos Antônio, Nara Simone Carneiro (PDT).

 

edicaoms