Alcinopolis. Quinta-feira, 19 de Julho de 2018. Boa Noite!

Juridico

Publicadas leis que alteram o Código Penal em relação aos crimes cibernéticos

Antes da lei publicada nesta segunda-feira , a norma...

Publicadas leis que alteram o Código Penal em relação aos crimes cibernéticos

Publicadas leis que alteram o Código Penal em relação aos crimes cibernéticos

Foram publicadas no Diário Oficial da União Federal desta segunda-feira (03/11) duas legislações responsáveis por modificar o Código Penal em relação aos crimes cibernéticos.

A Lei 12.735/12 alterou o Código Penal, o Código Penal Militar e a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, para tipificar condutas realizadas mediante uso de sistema eletrônico, digital ou similares, que sejam praticadas contra sistemas informatizados e similares.

No seu art. 20, a Lei nº 7.716/89 prescreve que é crime a prática, o induzimento ou a incitação de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. 
 
Antes da lei publicada nesta segunda-feira , a norma previa que caso o crime fosse cometido por meios de comunicação social, o juiz poderia determinar a cessação das transmissões radiofônicas ou televisivas. Com a nova lei, acrescentou também a cessação das "transmissões eletrônicas ou da publicação por qualquer meio".
 
Já a Lei nº 12.737/12 dispõe sobre a tipificação criminal de delitos informátivos alterando também o Código Penal. Foram acrescentados os artigos 154-A e 154-B ao Código Penal, que assim prescrevem: 
 
“Invasão de dispositivo informático  

Art. 154-A.  Invadir dispositivo informático alheio, conectado ou não à rede de computadores, mediante violação indevida de mecanismo de segurança e com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita:  

Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa.  

§ 1o  Na mesma pena incorre quem produz, oferece, distribui, vende ou difunde dispositivo ou programa de computador com o intuito de permitir a prática da conduta definida no caput.  

§ 2o  Aumenta-se a pena de um sexto a um terço se da invasão resulta prejuízo econômico.  

§ 3o  Se da invasão resultar a obtenção de conteúdo de comunicações eletrônicas privadas, segredos comerciais ou industriais, informações sigilosas, assim definidas em lei, ou o controle remoto não autorizado do dispositivo invadido:  

Pena - reclusão, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, e multa, se a conduta não constitui crime mais grave.  

§ 4o  Na hipótese do § 3o, aumenta-se a pena de um a dois terços se houver divulgação, comercialização ou transmissão a terceiro, a qualquer título, dos dados ou informações obtidos.  

§ 5o  Aumenta-se a pena de um terço à metade se o crime for praticado contra:  

I - Presidente da República, governadores e prefeitos;  

II - Presidente do Supremo Tribunal Federal;  

III - Presidente da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, de Assembleia Legislativa de Estado, da Câmara Legislativa do Distrito Federal ou de Câmara Municipal; ou  

IV - dirigente máximo da administração direta e indireta federal, estadual, municipal ou do Distrito Federal.”  

“Ação penal  

Art. 154-B.  Nos crimes definidos no art. 154-A, somente se procede mediante representação, salvo se o crime é cometido contra a administração pública direta ou indireta de qualquer dos Poderes da União, Estados, Distrito Federal ou Municípios ou contra empresas concessionárias de serviços públicos.”  
 
Fato Notório
Publicidade

Não deixe de ler


Nas Galerias de Fotos
  • Palestras: 3º Seminário da Pecuária de Corte. Palestras: 3º Seminário da Pecuária de Corte.
  • 1ª Exposição Fotográfica das Famílias Pioneiras. 1ª Exposição Fotográfica das Famílias Pioneiras.
  • Cafundó: Trilheiros de Alcinópolis Cafundó: Trilheiros de Alcinópolis
  • Enlace matrimonial Enlace matrimonial "Chicão & Meire"
  • Enlace matrimonial Enlace matrimonial "Mauricio & Leandra"
[+] Galerias de Fotos
Publicidade